Famílias visitam Reassentamento em Área Remanescente da Sinop Energia

Nove famílias, na condição de não proprietários de terras ocupando áreas rurais envolvidas pela formação do reservatório da Usina Hidrelétrica Sinop, visitaram, na última semana, o Reassentamento em Área Remanescente (RAR), em fase de implantação pela Sinop Energia, local para onde serão remanejadas em breve. A equipe técnica do Programa de Remanejamento da População, apresentou o andamento das obras e sanou as dúvidas dos visitantes sobre o Projeto.

No dia da visita, o Sr. Josuel Marcos da Silva, como de costume, acordou às cinco da manhã, tomou seu café e se preparou, mas não para trabalhar. Em companhia de sua esposa e juntamente com mais oito famílias que optaram pelo remanejamento, viu de perto seu sonho se concretizar ao visitar as obras de implantação do RAR. “Faltam palavras para expressar o que estamos sentindo. Quando entrei na minha casa, chorei de tanta emoção. Há mais de 12 anos trabalhávamos e vivíamos na propriedade do meu patrão. Lá nós éramos felizes, só que agora, vamos sonhar e trabalhar para nós mesmos”, repassou.

Localizado na margem direita do rio Teles Pires, cerca de 72 km do município de Sinop, sentido Itaúba, o RAR está sendo construído em área remanescente de uma propriedade rural parcialmente interferida e adquirida em sua totalidade pelo Empreendimento. Ao todo, 17 famílias, na mesma condição de não proprietários, que atendem às condicionantes estabelecidas no Plano de Negociação da Sinop Energia, receberam proposta de benefício com duas alternativas para o remanejamento, sendo uma carta de crédito no valor de R$125 mil, para aquisição de imóvel em área urbana/rural, ou um lote de terra no reassentamento com moradia e toda infraestrutura básica necessária. Do total, nove famílias optaram pela nova moradia, com previsão de mudança até o mês de agosto deste ano.

De acordo com o Gerente Fundiário da Sinop Energia, Marcos Campoi, cada família receberá lotes com áreas agricultáveis entre dois e oito hectares (dependendo da aptidão da família para o desenvolvimento das atividades econômicas), acrescido da área de reserva legal conforme estabelecido pela legislação ambiental vigente (Lei 12.651/2012). Toda a área de reserva legal do RAR será em sistema de condomínio, ou seja, contribuirá, dentre outros benefícios, para proteger e conectar os fragmentos florestais situados nas zonas de consolidação e expansão da produção do Zoneamento Ecológico-Econômico, permitindo que áreas mais propensas ao uso agrícola sejam utilizadas em benefício da conservação de outras áreas de maior relevância para conservação, ao mesmo tempo em que facilitará o monitoramento e controle dos órgãos ambientais.

Ainda na infraestrutura do reassentamento está previsto em cada lote a construção de uma casa em alvenaria de 63 m², com dois quartos, sala, cozinha, banheiro social, lavanderia e varanda, sistema de abastecimento de água, energia, saneamento (fossa séptica), cerca perimetral e acessos. “Este reassentamento terá a mesma infraestrutura que disponibilizamos no Reassentamento Rural Coletivo (RRC)”, completou o gerente.

Segundo o coordenador de Remanejamento da Sinop Energia, Anderson Imolesi, cada família reassentada, para iniciar o processo de adaptação e implantação de suas atividades produtivas em seu novo lote receberá também um projeto de geração de renda no valor de R$ 15 mil, para aplicar conforme sua escolha, que será desenvolvido, de maneira participativa, junto com a equipe da empresa contratada ATES – Assistência Técnica, Social e Ambiental. “Para completar, cada família receberá uma verba de manutenção equivalente a um salário mínimo, por um ano, para aplicar onde achar necessário”, finalizou o coordenador.

Usina Hidrelétrica Sinop

Aproximadamente 70 km do município de Sinop, a Usina Hidrelétrica Sinop está sendo construída no rio Teles Pires, entre os municípios de Cláudia (margem direita do rio) e Itaúba (margem esquerda). O reservatório abrangerá os municípios de Cláudia, Itaúba, Ipiranga do Norte, Sinop e Sorriso. Com investimentos de cerca de R$ 2.8 bilhões, este projeto caracteriza-se pela disposição de uma Casa de Força com duas turbinas/geradores com potência instalada de 408 megawatts (MW). A geração de energia elétrica está prevista para iniciar no final de dezembro de 2018 e poderá atender o consumo de 1,6 milhão de pessoas, equivalente a 50% da população do Estado do Mato Grosso.

Assessoria de Imprensa

EnglishFrenchPortuguese