ORIENTAÇÃO – Consciência no canteiro de obras

Trabalhadores recebem orientações sobre o combate ao abuso e a exploração sexual

foto: Assessoria de Imprensa

Capacitação é realizada sempre no primeiro dia de trabalho do novo colaborador (foto: Assessoria de Imprensa)

Antes de iniciar os trabalhos no canteiro de obras, todos os colaboradores contratados na Usina Hidrelétrica (UHE) Sinop participam de uma palestra sobre o combate ao abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes.

O objetivo do Empreendimento é orientar os colaboradores sobre a importância da atenção aos casos de exploração, no intuito de coibir a prática, tanto no ambiente de trabalho, como fora, uma vez que a capacitação é feita de maneira a formar multiplicadores dessa conscientização dentro do canteiro de obras. A palestra é realizada no primeiro dia de trabalho dos novos funcionários na sede da Construtora Triunfo – empresa contratada pela Companhia Energética Sinop (CES) para a execução das obras civis, fornecimento eletromecânico e montagem da Usina. De acordo com a psicóloga Organizacional da construtora, Janete Machado, mais de 600 profissionais já passaram pelo treinamento. “O combate à exploração sexual de crianças e adolescentes é um compromisso de todos. Percebemos que nossos colaboradores já têm consciência sobre o assunto, pois a participação nas discussões é grande”, afirmou.

José Cícero é um dos trabalhadores que participou da palestra. O pedreiro, que veio de Alagoas, gostou do tema abordado. “Não esperava por isso no meu primeiro dia de trabalho. Gostei muito, pois eu e meus amigos aprendemos o que fazer caso a gente perceba alguma situação de exploração’’, ressaltou.

Os novos trabalhadores também recebem orientações sobre qualidade de vida e segurança no trabalho, meio ambiente e as normas e condutas da empresa e dos alojamentos no canteiro de obras da UHE Sinop.

A palestra sobre o combate ao abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes faz parte da campanha nacional “Não desvie o olhar. Fique atento. Denuncie’’. Denúncias podem ser feitas por meio do Disque 100 – Direitos Humanos – ou diretamente à polícia no número 190. As ligações são gratuitas e não é necessário se identificar.

Assessoria de Imprensa

EnglishFrenchPortuguese